Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/1500
Title: Los desafíos de las políticas y la gestión social en América Latina
Authors: Cohen, Ernesto
Publisher: Escola Nacional de Administração Pública (ENAP)
Revista do Serviço Público (RSP)
Endereço Eletrônico: http://seer.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/238/243
Language: Idioma::Espanhol:español:es
Country: País::BR:Brasil
metadata.dc.type: Artigo
metadata.dc.description.physical: Revista do Serviço Público - RSP, v. 56, n. 4, p. 403-417
Issue Date: Oct-2005
metadata.dc.rights.holder: Escola Nacional de Administração Pública (ENAP)
metadata.dc.rights.license: Termo::Licença Padrão ENAP::É permitida a reprodução e a exibição para uso educacional ou informativo, desde que respeitado o crédito ao autor original e citada a fonte (http://www.enap.gov.br). Permitida a inclusão da obra em Repositórios ou Portais de Acesso Aberto, desde que fique claro para os usuários esses “termos de uso” e quem é o detentor dos direitos autorais, a Escola Nacional de Administração Pública (ENAP). Proibido o uso comercial. Permitida a criação de obras derivadas, desde que respeitado o crédito ao autor original. Essa licença é compatível com a Licença Creative Commons (by-nc-sa).
Classificação Temática: Gestão Pública
Abstract: La pobreza está aumentando en términos absolutos de manera sistemática desde 1990 y, desde comienzos del nuevo siglo, también en valores relativos. Hay, sin embargo, una buena nueva: el gasto público social ha aumentado también de manera sistemática desde entonces. ¿Qué se ha hecho con la enorme magnitud de recursos destinada a financiar las políticas sociales? Hay, por un lado, limitaciones que surgen de la forma en que ellas se diseñan e implementan. La gestión social tradicional asume que el impacto perseguido se producirá automáticamente como resultado de la mera entrega de los bienes o servicios a la población destinataria. Aparece, además, la masiva introducción de mecanismos de mercado en las políticas sociales, bajo el supuesto que permitirían mejorar su eficiencia e impacto. Teniendo en cuenta las limitaciones precedentes, se sugieren en este artículo tres senderos, estos son: la superación del estilo tradicional de gestionar los programas y proyectos sociales; el aprendizaje por medio de la experiencia de la evaluación de impacto y del monitoreo; y la generación de un estilo más participativo en el proceso de diseño, gestión y evaluación de las políticas sociales.
A pobreza vem aumentando, em termos absolutos, de forma sistemática a partir de 1990 e, a partir do início do novo século, também em valores relativos. Há, entretanto, uma boa notícia: o gasto público social tem também aumentado de maneira sistemática desde então. O que tem sido feito com a enorme quantidade de recursos destinada a financiar as políticas sociais? Há, de um lado, limitações que emergem da forma em que elas (as políticas) são desenhadas e implementadas. A gestão social tradicional assume que o impacto perseguido se produzirá automaticamente como resultado da simples entrega de bens ou serviços à população destinatária. Verifica-se ainda a massiva introdução de mecanismos de mercado nas políticas sociais, pressupondo- se que isso permitiria melhorar sua eficiência e impacto. Levando em consideração tais limitações, sugerem-se neste artigo três caminhos, quais sejam: a superação do estilo tradicional de gerir os programas e projetos sociais; o aprendizado resultante do acúmulo de experiência em avaliação de impacto e em monitoramento; e a criação de um estilo mais participativo no processo de desenho, gestão e avaliação das políticas sociais.
Poverty has systematically been increasing in absolute terms since 1990, as well as in relative terms since the beginning of the new century. There is, however, good news: social expenditure has also been increasing systematically ever since. What has been done to the enormous magnitude of resources destined to finance social policies? There are, on the one hand, limitations that emerge from the way policies are designed and implemented. Traditional social management assumes that the pursued impact will be automatically produced as a result of the mere delivery of goods or services to the target population. One also observes the massive introduction of market mechanisms in social policies, presuming that it would lead to efficiency and impact improvements. Considering such limitations, this article suggests three courses of action, namely: overcoming the traditional style of managing social programs and projects; learning from the accumulated experience in monitoring and impact evaluation; and creating a more participative process for the design, management and evaluation of social policies.
Keywords: pobreza;  gestión social;  evaluación y monitoreo;  gestão social;  gasto público social;  política social;  recurso;  financiamento
Target Audience: Servidores públicos
Especialistas e interessados em políticas públicas e gestão governamental
metadata.dc.description.additional: ISSN Impresso: 0034-9240
ISSN Eletrônico: 2357-8017
URI: http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/1500
Appears in Collections:Revista do Serviço Público: de 2001 a 2010

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2005 Vol.56,n.4 Cohen.pdf222,95 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.