Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/3270
Título: Percepções sobre (des)igualdade de gênero: estudo comparativo entre civis e policiais
Percepciones sobre (des)igualdad de género: estudio comparativo entre civiles y policías
Perceptions on gender (in)equality: a comparative study between civilians and policies
Autor(es): Almeida, Carla Cecília Rodrigues
Souza, Marcos Aparecido de
Gimenes, Éder Rodrigo
Editor: Escola Nacional de Administração Pública (Enap)
Endereço Eletrônico: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/issue/view/184/showToc
Idioma: Idioma::Português:portuguese:pt
País: País::BR:Brasil
Tipo: Artigo
Descrição física: Revista do Serviço Público - RSP, v. 69, n. 1, p.145-178
Data: Jan-2018
Detentor dos direitos autorais: Escola Nacional de Administração Pública (Enap)
Termos de uso: Termo::Creative Commons - Uso Não Comercial (by-nc): Esta licença permite que outros remixem, adaptem, e criem obras derivadas sobre a obra licenciada, sendo vedado o uso com fins comerciais. As novas obras devem conter menção ao autor nos créditos e também não podem ser usadas com fins comerciais, porém as obras derivadas não precisam ser licenciadas sob os mesmos termos desta licença. Fonte: http://creativecommons.org.br/as-licencas/
Classificação Temática: Sociedade. Gênero. Família
Resumo: O artigo compara as percepções de civis e militares no que diz respeito aos atributos que esses dois grupos associam a homens e mulheres e às atitudes que nutrem sobre o princípio da igualdade de gênero. Para tanto, dialoga com contribuições da teoria feminista e dos estudos sobre cultura policial. Os dados provêm de surveys aplicados a amostras representativas de cidadãos civis do Município de Maringá (PR) e de policiais militares do mesmo estado. Identificamos que as imagens construídas sobre homens e mulheres e posições favoráveis à igualdade de gênero são semelhantes entre civis e policiais. O gênero dos respondentes é relevante no sentido de que mulheres apresentam maior propensão à igualdade, e elementos específicos da cultura policial influenciam posições sobre igualdade de gênero, tornando os homens ainda menos dispostos no que se refere a esse assunto quando o tema abordado diz respeito às rotinas de trabalho na instituição.
Este artículo compara las percepciones de civiles y militares con respecto a los atributos que estos dos grupos asocian a los hombres y las mujeres y las actitudes que nutren acerca del principio de la igualdad de género. Para ello, dialoga con contribuciones de la teoría feminista y de los estudios sobre cultura policial. Los datos proceden de encuestas aplicadas a muestras representativas de la población civil en la ciudad de Maringá (PR) y de la policía militar del mismo estado. Hemos encontrado que las imágenes construidas sobre los hombres y las mujeres y posiciones favorables a la igualdad de género son similares entre civiles y policías. El género de los encuestados es relevante en el sentido de que las mujeres son más propensas a la igualdad, y elementos específicos de la cultura policial influyen en las posiciones sobre igualdad de género, por lo que los hombres se muestran aún menos inclinados con respecto a este asunto cuando el tema abordado se refiere a las rutinas de trabajo en la institución.
This article compares civilians and military men perceptions with respect to the attributes that these two groups associate to men and women and the attitudes they hold about the principle of the gender equality. To do so, it dialogues with contributions from feminist theory and studies on police culture. The data comes from survey data applied to representative samples of civilians from the municipality of Maringá (PR) and from military police in the same state. We have identified that the images built on men and women and positions favorable to gender equality in society are similar between civilians and police. The gender of the respondents is relevant in the sense that women are more likely to be equal, and specific elements of the police culture influence positions on gender equality, making men even less willing in this matter when the subject is concerned with the institution routines.
Palavras-chave: igualdade de gênero;  serviço público;  sociedade civil;  análise comparativa
Objetivo: Este artigo se baseia em dois bancos de dados. Os dados da amostra de não policiais resultam de um survey aplicado na cidade de Maringá, em 2011 (Almeida; Ribeiro; Gimenes, 2014). O cálculo da amostra probabilística foi realizado levando em consideração dados do IBGE/2010 sobre a população do município maior de 16 anos (284.602), um intervalo de confiança de 5% e nível de confiança de 95%. Foram conduzidas 309 entrevistas. Para garantir a representatividade da amostra foi empregada a técnica de amostragem de etapas múltiplas. Em primeiro lugar, foram listados os setores domiciliares em Maringá, segundo a última base da malha censitária do IBGE. Esses setores foram atualizados para delimitar o número efetivo de domicílios. Uma vez atualizados os setores, foram sorteados os domicílios. Na terceira etapa, foi aplicado um sistema de cotas de modo a garantir uma composição amostral semelhante à encontrada na população em termos de atributos fundamentais como sexo, idade e escolaridade.
Observações/Notas: ISSN eletrônico: 2357-8017 ISSN impresso: 0034-9240
URI: http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/3270
Aparece nas coleções:Revista do Serviço Público: de 2011 a atual

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Percepções sobre (des)igualdade de gênero.pdf868,6 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir